O Espiritismo

Sobre a mediunidade

 

Muitos são os ensinamentos errados inventados para desviar os homens do caminho santo de Deus. O inimigo de nossas almas, satanás, é enganador e mentiroso, e detentor de poder, pois é um anjo caído, e um anjo tem poder. Deus está permitindo que ele aja até que tudo se cumpra, conforme a vontade de Deus. Veja o que satanás faz:

 

Apocalipse ( Novo Testamento) capítulo 13, versículo 13:

 

 
13 Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.
     

 

Sobre a mediunidade (espiritismo) podemos ver que é um ensino enganoso e não bíblico, não correto, porque os mortos não sabem o que está acontecendo aqui na terra, depois de mortos. Veja em Eclesiastes:

 

Livro de Eclesiastes (Velho Testamento) Capitulo 9, versículo 5:

9:5 Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento.

 

A reencarnação também é um ensino mentiroso, porque vivemos e morremos apenas uma vez. Veja em Hebreus:

 

Hebreus (Novo Testamento) Capitulo 2, versículo 27 e 28:

 

   
27 E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo,
28 assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.

 

O inimigo pode fazer grandes coisas para enganar os homens, inclusive por espírito de adivinhação nos homens para leva-los ao engano. Veja em Atos dos Apóstolos:

 

Atos dos Apóstolos (Novo Testamento) Capitulo 16, do versículo 16 ao 19:

                  

16 ¶ Aconteceu que, indo nós para o lugar de oração, nos saiu ao encontro uma jovem possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.
17 Seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação.
18 Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu.
19 Vendo os seus senhores que se lhes desfizera a esperança do lucro, agarrando em Paulo e Silas, os arrastaram para a praça, à presença das autoridades;

 

Leia os textos acima em sua própria bíblia.

 

 

 

 

 

Anúncios
Publicado em As seitas | Deixe um comentário

A seita satânica chamada Rosacruz

Rosacruz

Por autor desconhecido

 

Origem remota, rituais ocultos, superdesenvolvimento mental – são alguns dos assuntos que fascinam os iniciados no rosacrucianismo. Dizem os rosa-cruzes que para entender seus ensinos é preciso recuar à época do Império Egípcio, e assim dão a sua origem ao tempo em que os egípcios ainda transmitiam suas idéias imprimindo sinais herméticos em tijolos de barro, tempo que antecede o uso do papiro como escrita. Afirmam ainda que a primeira Loja Branca teve início no reinado do Faraó Amenófis I.

Christian Rosenkreuz é conhecido como o fundador do rosacrucianismo. Nascido em 1375, na fronteira da Alemanha com a Áustria, onde se educou e se desenvolveu, Rosenkreuz começou a viajar e após percorrer a Alemanha, Áustria e Itália, encaminhou-se para o Egito, onde foi bem acolhido pelos irmãos da Loja Egípcia. Ali, foi admitido em todos os graus dos mistérios egípcios e fundou a Ordem Rosa-Cruz.

Assim como a Maçonaria se intitula uma sociedade secreta, assim também são os rosa-cruzes. No século 18, deu-se o título de Rosa-Cruz a todas as entidades que afirmam ter relações secretas com o mundo invisível. Da mesma forma como a Maçonaria nega sua condição de entidade religiosa, assim o fazem os rosa-cruzes. Pode-se afirmar, entretanto, que o rosacrucianismo é um tipo de sociedade religiosa eclética ou sincrética, pois admite em seu quadro associativo pessoas de todas as religiões. Tem seu templo, a sua loja do lar. Tem seus sinais de reconhecimento, tem palavras de passe e apertos de mão, tem também diversos graus e há cerimônias especiais para a entrada nesses graus.

Religião ecumênica

Declarações sobre sua condição de seita religiosa são comprometedoras e contraditórias: Já disseram que o trabalho Rosa-Cruz se torna uma religião para alguns de seus membros. Isto é verdade desde que com isto não se queira dizer que a Ordem se transforme em igreja. Aos rosa-cruzes pede-se que freqüentem as suas respectivas igrejas, e que cooperem no bom trabalho que estão realizando; ao mesmo tempo, porém, os ensinamentos… podem se tornar a religião de uma pessoa, seja ela metodista, presbiteriana, protestante episcopal, católica romana ou de qualquer outra seita.

No verbete Religião afirmam que… O conhecimento de Deus e de suas manifestações suscita real devoção religiosa da parte dos rosa-cruzes, e o místico é sempre um sincero estudante de teologia básica. Todavia, além de associar-se a igrejas sectárias a fim de auxiliá-las na importante obra que estão realizando, o rosa-cruz é liberal, é tolerante em sua religião e vê Deus em tudo e em cada uma de suas criaturas. (O destaque é nosso).

Incentivando o estudo de suas monografias dizem mais: Se para o estudante, os ensinamentos rosa-cruzes tiverem se tornado sua religião, deixe que eles permaneçam assim, como coisa pessoal, apenas sua, e não permita que um gesto ou uma palavra de sua parte possa sugerir a alguém que prefere permanecer afastado das igrejas devido aos seus estudos rosa-cruzes. Poderá ser leal a
ambos: auxiliar a ambos e, ao mesmo tempo, servir a Deus e prestar maior auxílio à humanidade através desses dois canais.
(Monografia do Templo, 12º n.61, p. 4) (O destaque é nosso).

Ademais, os rosa-cruzes afirmam que não constituem uma sociedade religiosa cristã. Se a Ordem Rosa-Cruz fosse uma organização puramente cristã, isto significaria que em todas as terras onde outras religiões fossem aceitas, os rosa-cruzes teriam de ser cristãos. Esta não é a verdade. (Monografia do Templo, 12º n. 102, p. 2).

Como vemos, embora negando e depois afirmando, os rosa-cruzes confessam ser uma religião, mas destacam que não se trata de uma religião cristã. É uma religião eclética. A Bíblia ensina que não existe possibilidade de alguém servir a dois senhores em Mt 6.24 e que não devemos nos colocar debaixo de um jugo desigual com os infiéis, notoriamente uma sociedade ocultista (2 Co 6.14-17). Para muitas pessoas, qualquer tipo de culto é aceitável e não examinam as Escrituras para verificar como Deus vê essa situação de duplicidade religiosa. Nas Escrituras, vamos encontrar que Deus não aceita qualquer tipo de culto. Olhando em Gênesis 4.3-7 encontramos dois irmãos – Abel e Caim – oferecendo culto a Deus. O oferecimento de Caim foi rejeitado e o de Abel foi aceito. Na Bíblia encontramos Deus exigindo adoração exclusiva em Dt 6.5; Êx 20.5. Só existe um meio aceitável de adorar a Deus (Jo 4.23-24) e os demais são inconvenientes e impróprios (Mt 7.13-14).

A Rosa-Cruz se vangloria de ter em seu rol de membros pessoas consideradas ilustres na História, contudo o apóstolo Paulo era um doutor da lei e, quando no judaísmo, havia estudado aos pés do sábio Gamaliel. Agora que era cristão, não se envergonhava do Evangelho de Cristo, ao contrário, (Rm 1.16-17), admitindo até que não eram muitos os poderosos segundo a carne que haviam aceitado a fé cristã. Então, declara em 1 Co 1.18: Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está a escrita? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação (1 Co 1.18,21).

Como vimos, quão diferente é a linguagem de Paulo da empregada pelos rosa-cruzes! Fazem declarações bombásticas de pessoas ilustres para ressaltar o conhecimento secreto revelado a pessoas consideradas ilustres neste mundo por meio dos seus ensinos secretos, quando Cristo, o próprio Evangelho, veio e viveu entre os humildes e sua mensagem é aceita e compreendida por todos os homens sinceros de coração (Mt 11.25).

Símbolos e Misticismo

Utilizam-se de objetos em suas práticas ocultistas tais como: incenso, estátuas, toalhas, aventais, bandeiras, decalques, discos, fitas K-7; publicações como monografias, de vários graus, enviadas pelo Correio para os membros do Sanctum da Grande Loja.

Quando uma pessoa se converte, abandona as práticas ligadas ao ocultismo. Essas práticas são chamadas de artes mágicas e todos os objetos de livros ligados a essas artes devem ser abandonados e se possível até queimados. Esse era o modo como agiam os primitivos cristãos (At 19.18-19).

O símbolo da Ordem é uma cruz negra com uma rosa vermelha no centro. A Cruz representa o corpo humano, com os braços abertos voltados para a luz. No centro, no ponto em que o braço horizontal da cruz se une à madeira vertical, está sobreposta a rosa, representando a personalidade-alma. Essa rosa, parcialmente desabrochada, simboliza a consciência em evolução à medida que recebe a Luz Maior (Manual Rosa-Cruz, p. 235, 7ª edição, 198l).

A saudação rosa-cruz é feita com as seguintes palavras: Floresçam as Rosas na tua Cruz. A resposta à saudação é: E também a tua (O Caos das Seitas, p. 87).

Sendo uma entidade religiosa com práticas ocultistas, propaga curas por meio de poderes extra-sensoriais conhecidos pela sigla PES. Promete desenvolver o poder da vontade; manter a saúde; superar hábitos maus, atingir uma conscientização cósmica; mudar o ambiente; superar o complexo de inferioridade; decifrar antigos símbolos. Essa condição de práticas ocultistas não é negada pelos rosa-cruzes. Dizem que seu estudo é o mais completo, integral, minucioso e maravilhoso curso de alta instrução em metafísica, ocultismo, magia natural, psicologia e desenvolvimento mental, que o homem jamais teve.

Palavras mágicas

Afirmam os rosa-cruzes que existem certas palavras mágicas que, quando pronunciadas, trazem proteção contra circunstâncias adversas. Os membros dos graus inferiores quando se confrontaram com situações graves e ameaçadoras, ao repetir, imediata, silente ou suavemente a palavra Mathrem, ou a palavra Mathra, trouxe-lhes proteção imediata para o corpo e paz para a mente. Por exemplo, os membros que se confrontaram com colisões quase certas foram protegidos quando rápida e mentalmente repetiram a palavra Mathrem ou Mathra. (Monografia do Templo, 12º, número 206, p. 3). Outras palavras são… RA-MA. Pronunciar essa palavra sagrada e fazer com que ambas soem como o A. (Monografia do nono Grau, número sete, p. 4). A palavra RAMA deve ser pronunciada alongadamente da seguinte forma: RAAAAAAAAA-AAAA-MAAAAA-AAAAAAAA.

Um dos rituais mais praticados é assim descrito:

“PREPARAÇÃO”

“Selecione qualquer ocasião do dia ou da noite, e qualquer período da semana que seja mais conveniente para realizar este ritual. Requererá o isolamento de uma convocação de Sanctum.”
Velas: Acenda duas velas (archote) no altar de seu Sanctum, colocando-as cerca de 20 cm de distância uma da outra, no mesmo plano. Se tiver a Cruz do Sanctum, coloque-a ligeiramente por trás das duas velas e no centro entre as mesmas.
Incenso: Na ocasião em que preparar as velas, acenda também o incenso no Incensório. O Incensório deve ser colocado cerca de 10 cm em frente à Cruz do Sanctum. Avental: Se tiver o seu avental ritualístico, deverá usá-lo, atando-o da maneira usual.
Luzes: Todas as luzes devem ser apagadas, em seu Sanctum, com exceção das velas e a lâmpada próxima à cadeira em que estiver sentado, para a leitura. Evite, se possível, ter luzes brilhantes acesas no teto
(Ádito número Um, p. 6).

Ensinos que entram em conflito com a Palavra de Deus

A divindade do homem

Essa pretendida evolução do homem indicada pela rosa desabrochada é elevar o homem à divindade, como afirmam: O (uso do) símbolo da Rosa-Cruz, não como símbolo religioso, mas como símbolo divino, representa a verdadeira divindade do homem e de toda a natureza (Manual Rosa-Cruz, p. 89). Esse ensino panteísta (Tudo é Deus) é antibíblico. O homem foi criado por Deus (Gn 1.1), à sua imagem e semelhança. É criatura e não um deus (Gn 1.26-27). O homem é homem e Deus é Deus, não podem ser confundidos (Is 31.3; Ez 28.2,9).

Para criarem a consciência da sua divindade os rosa-cruzes são aconselhados a repetir continuamente as seguintes palavras: Eu sou puro! Eu sou puro! Eu sou puro! Minha pureza é a pureza da divindade do templo Sagrado (Cro-Maat! – Monografia Semanal, segundo Grau, número Um, p. 6). Deus é distinto da sua criação, embora não esteja distante dela. Entende-se com isso a transcendência e a imanência de Deus. A transcendência de Deus é a característica de Ele ser distinto da criação e a imanência de Deus indica que Ele não abandonou a criação como ensina o deísmo. Paulo abordando o assunto no seu discurso no areópago de Atenas disse: O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens, nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois Ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas. E de um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação (At 17.24-26).

Reencarnação

A doutrina da reencarnação é uma das principais doutrinas dos rosa-cruzes e eles não fazem segredo disso. De acordo com a lei de encarnação, cada ser humano renasce no plano terreno a cada 144 anos, em média. Em outras palavras, se pudéssemos acompanhar as reencarnações de uma pessoa em um período de mil anos atrás, verificaríamos a ocorrência de um renascimento em um novo corpo a cada 144 anos, em média. Se uma pessoa vive somente 80 anos neste plano terrestre e, em seguida, eleva-se a uma vida mais alta pela transição, a alma e a personalidade da referida pessoa permanecem no plano cósmico psíquico cerca de 64 anos antes de se reencarnar, a fim de completar o ciclo de 144 anos… A criança que passa para o plano cósmico aos quatro anos de idade teria de permanecer no mesmo 140 anos aguardando a reencarnação. (Monografia de Neófito, segundo grau, número doze, pp. 4-6).

A Bíblia enfatiza que o homem só passa uma vez pela terra em Hebreus 9.27, “aos homens está ordenado morrerem uma só vez vindo depois disso o juízo”. Se morrem uma só vez é porque só podem nascer uma só vez. Depois da morte… juízo e não retorno a este “plano terrestre”.

O ensino de Jesus em Lc 16.22-26 mostra o seguinte: a) a unicidade da vida terrestre; b) a existência de um lugar de felicidade após a morte (2 Co 5.6-8; Fp 1.21-23); um estado consciente de tormento para os que o rejeitaram como Salvador e Senhor (Lc 16.22-24); c) a futura ressurreição do corpo: glorificado para os cristãos e de vergonha para os não-cristãos (Jo 5.28-29). Pela doutrina da reencarnação ninguém se salvaria, seria um vai e vem sem fim, pois quem viesse pagar uma dívida iria contrair outra para futuras reencarnações.

Deturpação da Bíblia

a) As últimas palavras proferidas pelo Mestre Jesus, na Cruz, foram RA-MA. Se examinassem um pouco melhor a Bíblia encontrariam que as últimas palavras de Jesus na cruz foram Tudo está consumado (Jo 19.30).

b) Sobre o Jardim do Éden:
…no alvorecer da evolução do Homem, encontramos o homem e a mulher em lugar alegoricamente chamado Éden – o Jardim… Devemos, portanto, considerar o Jardim do Éden como uma condição e não um lugar… (Monografia do Templo, nono Grau, número Um, p. 4).

Consideramos o relato bíblico do Jardim do Éden realmente um lugar, uma realidade histórica, e não um relato alegórico. Jesus se reportou, em seus ensinos, sobre a criação de Adão e Eva como verdades históricas da criação do primeiro homem e da primeira mulher (Mt 19.4-6). O mesmo fez o apóstolo Paulo falando da queda dos nossos primeiros pais (Rm 5.12).

c) EU SOU O CAMINHO
E, naturalmente, temos esta outra maravilhosa e iluminadora declaração do Grande Mestre, falando desta vez como CRISTO RESSUSCITADO… Ele não pronunciou esta frase no sentido pessoal, e que Ele não estava falando como Jesus, o Homem, ou como um Líder Divino… Naqueles dias o CAMINHO era uma escola mística esotérica e secreta que aqueles que guiavam aos outros n’O CAMINHO eram perseguidos. (Monografia do Templo 9º, número 29, p. 3).

Ora, lendo Jo 14.6 e o contexto vemos que Tomé perguntou a Jesus sobre o caminho para a casa do Pai (Jo 14.2-3) e Jesus responde dizendo ser Ele o caminho, e a verdade e a vida. “Ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Jesus é esse caminho e não uma escola mística esotérica. É um ensino esdrúxulo (Hb 13.9).

Trindade

Falando sobre a Trindade, assim se manifestam os rosa-cruzes: Os místicos compreendiam muito bem o que Jesus quis dizer por Sagrada Trindade ou por ‘Pai, Filho e Espírito Santo’. Eles conheciam a lei do triângulo e como a divindade pode ser representada pelo símbolo do triângulo ou pelos três. Eles não puderam compreender, contudo, outras características da religião cristã adicionadas a ela séculos depois. (Monografia do Templo, 12º, número 102, p. três).

A doutrina da Trindade é usualmente declarada nos seguintes termos: Na natureza do único e eterno Deus há três pessoas eternamente distintas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Todas as três pessoas são o mesmo Deus, embora o Pai não seja nem o Filho nem o Espírito; o Filho não seja nem o Pai nem o Espírito; e o Espírito não seja o Pai nem o Filho. Isto pode ser visto nas referências de Mt 3.16-17; Jo 14.16,26; 2 Co 13.13.

A identificação da ordem batismal de Jesus na fórmula trinitária de Mt 28.19, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo em nada se relaciona com essa lei do triângulo mencionada pelos rosa-cruzes.

O que pensam sobre Jesus

As opiniões dos rosa-cruzes sobre Jesus são estranhas e extravagantes. Os conceitos emitidos sobre Jesus são até blasfemos. Nós que podemos ver o futuro, compreendemos que o próximo grande salvador mundial, o próximo Cristo do homem, e o filho de Deus, nascerá livre de qualquer relação com qualquer organização, com qualquer seita ou religião, com qualquer movimento que seja limitado a certas pessoas ou crenças. (Monografia do Templo, 10º, número 30, p. 6).

Os rosa-cruzes falam de outro Cristo que ainda vai nascer para se tornar o salvador do mundo. Estão falando do anticristo (1 Jo 2.18). Seria Lord Maitreya da Nova Era? Jesus falou da vinda de falsos cristos e esse anunciado não deixa de ser um deles (Mt 24.5, 23-25).

SER EVOLUÍDO

Jesus foi, inquestionavelmente, a culminação da evolução de centenas dos grandes místicos e seres inspirados dos séculos anteriores. (Monografia do Templo, 11º, número 34, p. 4).

O Jesus bíblico é imutável. Duas declarações nesse sentido são encontradas em Jo 8.58 e Hb 13.8, contestando assim a declaração rosa-cruz de ser Jesus uma suposta evolução de centenas de grandes místicos.

NÃO MORREU NA CRUZ

Os antigos registros da Grande Fraternidade Branca e outros documentos que constam dos arquivos rosa-cruzes demonstram claramente que, depois que Jesus retirou-se para o mosteiro do Carmelo, viveu por muitos anos, realizando reuniões secretas com seus Apóstolos e devotando-se, pela meditação e pela prece, à formulação de doutrinas e ensinamentos para serem divulgados pelos apóstolos (A Vida Mística de Jesus, p. 266). Refutando as declarações rosa-cruzes afirmamos que Jesus não pode ser comparado a qualquer outro líder religioso. Ele fez declarações tão fantásticas que causaram protestos dos seus contemporâneos. Quando contestado nas suas reivindicações, comprovava sua autoridade realizando milagres. Quando curou o coxo que fora levado à sua presença por quatro amigos, declarou: Filho, perdoados estão os teus pecados. Contestado pelos presentes sobre sua autoridade para perdoar pecados, deu ordem ao paralítico que tomasse sua cama e se levantasse, o que foi feito de imediato. Sua autoridade fora comprovada (Mc 2.1-11).

O Evangelho pregado por Paulo, declarado por ele ser o poder de Deus, (Rm 1.16-17) trazia a seguinte mensagem: Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras (1 Co 15.3-4). Negar a morte de Jesus implica negar sua ressurreição e negar sua ressurreição é estar sem esperança, destituído de salvação! (1 Co 15.14-17). O rosacrucianismo não apenas nega a morte física de Jesus na cruz, como nega que essa morte tivesse efeito salvífico.

A doutrina da Expiação, ensinada pela Igreja, consiste em que o Cristo expiou todos os pecados da humanidade, morrendo na cruz… A doutrina da Expiação é misticamente verdadeira, mas somente no sentido de que o próprio homem, alcançando o estado de consciência cósmica, pode expiar seu estado pecaminoso (Discurso 24, série III, p. 4).

A morte de Jesus foi comprovada historicamente (Jo 19.30-42). Ora, considerando que o rosacrucianismo nega a morte de Cristo na cruz, afirmando que Ele sobreviveu à morte de cruz, e que viveu muitos anos como mestre no monte Carmelo, está transmitindo um ensino falso, fraudulento e apontado por Paulo em Gl 1.8 como devendo ser anatematizado. Pior ainda quando nega o significado de sua morte vicária, expiatória na cruz (1 Pe 2.24). Realmente, é outro evangelho que deve ser rejeitado. Um cristão orientado pela Bíblia jamais poderia tornar-se um rosa-cruz (Ap 18.4).

No Brasil existem várias organizações que seguem a ideologia ocultista:

  • Antiga Mística Ordem Rosa-Cruz (AMORC) – fundada em 1915 pelo ocultista H. Spencer Lewis, em Nova Iorque (EUA).
  • Fraternidade Rosa-Cruz – fundada por Max Heindel, em 1907, Oceanside, na Califórnia (EUA.).
  • Fraternitas Rosae Crucis – P. B. Randolph, em 1868, R. S. Clymer, Quakerstown, PA (EUA).
  • Lectorium Rosincrucianum/Áurea – fundada em 1971 por J. Van Rijckborgh, em Haarlem, na Holanda.
  • Igreja Expectante – fundada em 1919, por A. R. Costet de Mascheville, em Guarapari, no Estado do Espírito Santo.

Cerimônias e Práticas

São as seguintes as cerimônias e práticas celebradas regularmente que identificam os rosa-cruzes como uma seita religiosa:

  • Ritual de Aposição de Nome, que deve ser realizado até os 18 meses da data do nascimento, numa cerimônia parecida com o batismo de crianças praticadas em igrejas católicas.
  • Ritual de Matrimônio, um tipo de cerimônia religiosa de casamento. Esta cerimônia pode realizar-se até após uma semana depois do casamento no civil.
  • Ritual Fúnebre, cerimônia realizada só quando o morto tiver pertencido à Ordem.
  • Ordem Juvenil dos Portadores do Archote, cerimônia realizada com crianças e adolescentes entre os 5 a 17 anos, com três classes por idades.
  • Ritos anuais: festa sagrada do Ano Novo, com refeição simbólica (março) e a Festa da Pirâmide (setembro) em comemoração à construção da grande Pirâmide de Quéops.

 

Publicado em As seitas | 78 Comentários

Porque eu Deixei a Maçonaria

 Por Charles G. Finney  

Comentário introdutório do tradutor

Este estudo tem por finalidade compartilhar o testemunho de um renomado teólogo cristão que, a despeito de suas opiniões particulares divulgadas nesse texto, dá testemunho de algo que experimentou quanto à incompatibilidade – por ele alegada – existente entre cristianismo e maçonaria. Não há interesse nele em comentar a respeito de ritos e simbologia, fazendo-se observações de tradução ao final tão-somente como complementação didática.

Há que se enfatizar, na presente divulgação, o total respeito aos membros dessa ordem iniciática, embora não se expresse aqui concordância alguma com sua postura filosófica e doutrinária, pelo que figura em nossa seção “Apologética”, cabendo ao leitor as verificações e conclusões que se lhes fizerem necessárias acerca dos tópicos nele abordados.

Charles G. Finney (1792-1875) foi pastor, considerado o pai do Reavivamento moderno, sendo creditada às suas preleções a conversão de mais de 500 mil almas ao Evangelho. Advogado, conheceu a vida cristã ao estudar direito, vindo a Jesus em 1821 (ainda como Mestre-maçom) e autorizado a pregar a Palavra de Deus em 1823, promovendo uma verdadeira cruzada evangelística entre 1824-1832 pelo Oeste estadunidense. Serviu ao Senhor por 40 anos, e foi autor de 17 livros.

 

Quando fui convertido a Cristo, eu pertencia à Loja Maçônica em Adams, Nova Iorque, havia cerca de quatro anos. Durante as lutas da convicção do pecado pelas quais passei, eu não me lembro se a questão sobre a Maçonaria já havia ocorrido em minha mente.

Novas Visões das Práticas da Loja

Logo depois da minha conversão, entretanto, fui certa noite a uma sessão(1) em minha Loja. Eles, obviamente, estavam cientes de que eu me havia tornado um cristão, e os Mestres me convidaram para abrir os trabalhos da Loja com uma oração. Eu fiz isso, e derramei o meu coração diante do Senhor, pedindo bênçãos sobre a Loja. Observei que isso criou considerável alvoroço. A noite passou, e no fechamento dos trabalhos da Loja me pediram para orar novamente. Assim procedi, e me retirei muito deprimido em espírito. Logo descobri que eu era completamente convertido da Maçonaria para Cristo, e que eu não tinha mais simpatia com qualquer das deliberações da Loja. Seus juramentos pareciam-me monstruosos, profanos e bárbaros.

Naquela época eu não sabia o quanto tinha sido sujeito a muitas das pretensões da Maçonaria. Após reflexão e análise, entretanto, sob uma luta severa e fervorosa em oração, achei que não poderia permanecer com eles de modo consistente. Minha nova vida estava instintiva e irresistivelmente resguardada de qualquer simpatia com aquilo que eu já considerava como as “improdutivas obras das trevas”.

Afastando-me da Membresia com Tranqüilidade

Sem consultar ninguém, eu finalmente fui à Loja e pedi meu desligamento(2). Minha mentalidade havia sido formada. Retirar-me deles é um dever – esperava, se possível, com seu consentimento; sem esse consentimento, se eu precisasse. Sobre isso não me manifestei, mas de alguma maneira tornou-se conhecido que eu havia me desligado.

Assim, eles planejaram um ágape e enviaram-me um convite, pedindo para que eu fizesse um discurso nessa ocasião. Calmamente eu me recusei a fazê-lo, informando à comissão que eu não poderia, de maneira tranqüila e em qualquer hipótese, fazer algo que pudesse mostrar a minha aprovação àquela instituição, ou simpatia para com ela; no entanto, durante certo período de tempo e nos anos seguintes eu permaneci em silêncio, e não disse nada contra a Maçonaria, embora eu já tivesse opinião formada sobre a questão que diz respeito aos meus juramentos maçônicos, considerando-os como absolutamente nulos e sem efeito. A partir desse momento, entretanto, nunca mais me permiti ser reconhecido como maçom, por onde quer que eu andasse.

Iniciando um Testemunho Público

Passaram-se poucos anos antes da publicação das revelações sobre a Maçonaria, pelo capitão William Morgan(3). Quando esse livro foi publicado, eu lhe perguntei se ele era uma autêntica revelação sobre a Maçonaria. Argumentei que ele ia muito além do que eu sabia sobre a Maçonaria e que, até onde eu podia lembrar, consistia numa fiel revelação dos três primeiros graus, tal qual eu mesmo os havia obtido. Eu reconheci com sinceridade que o que havia sido publicado fora um autêntico relato sobre a instituição, bem como uma autêntica exposição de seus juramentos, princípios e procedimentos. Após eu ter considerado essa revelação mais profundamente, eu fui convencido de modo mais perfeito de que eu não tinha o direito de aderir àquela instituição, nem ao menos na aparência, e que eu estava vinculado, sempre que viesse a ocasião, a manifestar livremente minha opinião em relação a ela, e de renunciar aos terríveis juramentos que eu havia feito.

Juramentos Maçônicos Tomados Através da Fraude

Descobri que, ao efetuar esses juramentos, eu havia sido enganado de modo grosseiro, uma vez sendo por eles sujeito. Eu tinha sido levado a supor que havia alguns segredos muito importantes a me serem comunicados; nisso, todavia, encontrei-me totalmente decepcionado. Na verdade cheguei deliberadamente à conclusão de que meu juramento tinha sido tomado pela fraude e pelo engano; que a instituição não era aquilo de que eu fui informado a seu respeito e, como já tinha os meios de examiná-la mais exaustivamente, tornaram-se-me cada vez mais evidente, de modo irresistível, que a Maçonaria é altamente perigosa para o Estado, e de todas as formas prejudicial para a Igreja de Cristo.

 

Características de um Anticristão

Ao julgar por evidências inquestionáveis, como podemos deixar de considerar a Maçonaria como uma instituição anticristã? Podemos ver que a sua moralidade é anticristã; seus segredos vinculados a juramentos são anticristãos; sua ministração e tomada de juramentos são anticristãos, além de uma violação do comando positivo de Cristo; os juramentos maçônicos fazem com que seus membros se comprometam com algumas das atitudes mais ilegais e anticristãs possíveis:

  • Ocultar os crimes, uns dos outros;
  • Oferecerem-se mutuamente para auxílio nas dificuldades, sejam elas corretas ou incorretas;
  • Favorecer indevidamente a Maçonaria em ações políticas e nas questões comerciais;
  • Seus membros juram retaliar e perseguir os violadores dos deveres maçônicos, até a morte;
  • A Maçonaria não conhece misericórdia, e faz seus candidatos jurarem que suportarão vingança a violação dos deveres maçônicos, até a morte;
  • Seus juramentos são profanos, tomando o nome de Deus em vão;
  • As sanções dos seus juramentos são bárbaras, até mesmo selvagens;
  • Seus ensinamentos são falsos e profanos;
  • Seus propósitos são parciais e egoístas;
  • Suas cerimônias são uma mistura de infantilidade e irreverência;
  • Sua religião é falsa;
  • Eles professam a salvar os homens, sob outras condições diferentes daquelas reveladas no Evangelho de Cristo;
  • Ela é, em seu todo, uma enorme mentira;
  • É uma vigarice a obtenção de dinheiro de seus membros sob falsos pretextos;
  • Ela se recusa a todas as indagações, protegendo-se sob a capa do segredo vinculado a um juramento;
  • Trata-se de uma virtual conspiração contra ambos: Igreja e Estado.

Algumas Conclusões Diretas

Ninguém, todavia, jamais se comprometeu a defender a Maçonaria dos argumentos ora expostos. Os próprios maçons não fingem que a sua instituição, tal como revelado em livros confiáveis, e por algumas das suas próprias testemunhas, seja compatível com o Cristianismo. Por isso, segue-se que:

Em primeiro lugar, a Igreja Cristã não deveria ter comunhão com a Maçonaria, e aqueles que aderem de modo consciente e determinado a essa instituição não têm o direito de estar na Igreja Cristã. Nós pronunciamos esta sentença de modo triste, mas solene.

Em segundo lugar, deve-se perguntar: “que deve ser feito com o grande número de cristãos professos que são maçons”? Eu respondo: não há mais nada a fazer com eles. Que fique claramente atado a suas consciências de que todos os maçons, acima dos dois primeiros graus(4), têm de jurar solenemente ocultar os crimes, homicídios e traição uns dos outros, exceto estes últimos de si próprio, e que todos acima do sexto grau têm conjurado abraçar a causa um do outro, e de livrá-los de qualquer dificuldade, esteja ela correta ou incorreta.

Em terceiro lugar, se forem relevados aqueles graus em que se deva jurar a perseguir até à morte aqueles que violarem seus deveres maçônicos, questionemo-nos se eles realmente têm a intenção de agir assim. Deixem-nos ser questionados de modo especial se tencionam ajudar e amparar a ministração e a tomada de tais juramentos, se ainda pretendem suportar os ensinamentos falsos e hipócritas da Maçonaria, ou se eles pretendem suportar a profanação das suas cerimônias, bem como a parcialidade das suas práticas juramentadas. Se assim o for, certamente não deveria ser permitido o seu lugar na Igreja Cristã.

Em quarto lugar, pode um homem que alcançou, e ainda aderiu ao juramento do grau de Mestre Maçom(5), ocultar qualquer crime que o irmão de Grau cometeu em segredo, exceto homicídio e traição, ser um homem justo a quem se confie um cargo público, qualquer que ele seja? Ele pode ser confiável como uma testemunha, como um jurado, ou com qualquer serviço relacionado à administração da justiça?

Em quinto lugar, pode um homem que alcançou, e ainda aderiu ao juramento do Real Arco Maçônico(6), ser confiável para ocupar cargos públicos? Ele jura abraçar a causa de um companheiro desse Grau, quando este se envolve em qualquer situação de dificuldade, e tão logo de livrá-lo, esteja ele certo ou errado. Ele jura ocultar seus crimes, INCLUSIVE OS DE HOMICÍDIO E TRAIÇÃO. Tal homem, amarrado por esse juramento, pode ser empossado num cargo? Ele deveria ser aceito como testemunha ou jurado quando outro maçom é parte, no caso? Ele deveria ser empossado no cargo de juiz, ou juiz de paz, como um delegado, ou policial, oficial de justiça ou em qualquer outro cargo?

Qual é a tua resposta?

Eu apelo à tua consciência, aos olhos de Deus, para uma resposta honesta a estas três perguntas:

  • Existe algum homem que, sob um juramento solene de matar a todos os que violem qualquer parte dos juramentos maçônicos, se encaixe no perfil de autoridade sobre pessoas?
  • Maçons dessa estirpe deveriam fazer parte da irmandade na Igreja Cristã?
  • Você acredita que os pecados dos juramentos maçônicos serão perdoados apenas para aqueles que se arrependem, e não o fazem quanto àqueles pecados aos quais nós ainda aderimos, e cuja adesão nos torna também cúmplices dos pecados de outros homens?

o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado“;
E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro” (I João 1:7b; 3:3).

 

Reimpressão das “Memórias” do pres. Finney, originalmente publicadas pelo Colégio Oberlin. Transcrito de um tratado publicado pela Associação Nacional Cristã – editores que, desde 1868, publicam literatura que expõe as sociedades secretas.

NOTAS(1) Sessão é o nome dado aos trabalhos da Loja Maçônica. Segundo o sítio da Augusta e Responsável Loja Simbólica “Fraternidade Paulista” (http://www.fraternidadepaulista.com.br/), “SEÇÃO (sic) é a realização de reuniões maçônicas, também denominadas de trabalhos. Podem ser: ordinárias, extraordinárias, administrativas, iniciarias, magnas, de instalação, de instrução, de famílias, acadêmicas, fúnebres, brancas, etc.” No caso, Finney se refere à “sessão de trabalho”, ocasião em que a “Loja está coberta” (isto é, todos os presentes são reconhecidos como maçons) e em cuja reunião só se admitem iniciados na ordem maçônica (N. do T.).

(2) Esse pedido de desligamento definitivo depende de uma permissão dada ao maçom, após o cumprimento de seus deveres junto à Loja e à Ordem Maçônica, recebendo o nome de “quitte placet” (N. do T.).

(3) William Morgan, segundo o sítio “Masonic Info” (http://www.masonicinfo.com/morgan.htm), publicou, associado a um editor de jornal, um livro em retaliação por não ter sido admitido na constituição do Real Arco em LeRoy (Nova Iorque), em 1825, no qual revelava, maliciosamente, segredos maçônicos. Em resposta, o editor sofreu um atentado (incêndio), do qual escapou vivo, e Morgan foi preso diversas vezes por várias acusações criminosas (umas reais, outras aparentemente forjadas), possivelmente instigadas por maçons da comunidade. Há quem diga que ele foi assassinado por maçons, após ter sua fiança paga: desde esse dia, ele não mais foi encontrado (N. do T.).

(4) Isto é, os de Aprendiz-Maçom e o de Companheiro-Maçom, dentro do Rito Escocês Antigo e Aceito. Junto com o Grau de Mestre-Maçom, eles compõem a denominada “Loja Azul” ou os “Graus Simbólicos” (N. do T.).

(5) Mestre Maçom é o terceiro grau do Rito Escocês Antigo e Aceito o mais adotado dos ritos maçônicos no Brasil. A ele pertencia Finney, quando houve seu desligamento da filiação maçônica (N. do T.).

(6) Real Arco é a denominação dada ao conjunto de quatro graus do Rito de York, que, segundo o sítio http://www.realarco.org.br/, traz aos maçons de todos os ritos “uma nova compreensão do simbolismo”, destinados a enfatizar certas lições de aprendizado da Maçonaria, como a harmonia e a reverência. Também é nome dado ao 13º Grau do Rito Escocês Antigo e Aceito, cujo integrante é o “Mestre do Arco Real de Salomão”. Segundo Esequias Soares e Natanael Rinaldi (2001), “no grau do Real Arco do Rito de York, o maçom reconhece que o verdadeiro nome de Deus é Jabulon, que até os três primeiros graus de chamou G.A.D.U. Nesse mesmo Real Arco Rito de York, a maçonaria une Yahweh com divindade pagãs como Baal, On e Osíris”(fonte: http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?Id=101) (N. do T.).

Traduzido por Cleber Olympio, conforme original publicado em http://www.isaiah54.org/finney.htm

 

 

Publicado em maçonaria | Deixe um comentário

O vaticano e as “sociedades secretas”

  

 

Publicado em 2/23/2002 pela A Espada do EspíritoTradução: Jeremias R D P dos Santos

O plano dos Mestres dos Illuminati, os criadores e principais promotores do Plano da Nova Ordem Mundial é infiltrar o Vaticano e fazer com que um de seus homens chegue a papa, torne-se líder de uma Religião Global Unificada e depois destrua a Igreja Católica e todo o cristianismo. Evidências alarmantes que esse objetivo já pode ter sido atingido e que diversos ocupantes de cargos da alta hierarquia católica sejam membros de sociedades secretas ocultistas!

E este é The Cutting Edge, um programa de rádio dedicado a exortar e informar o povo de Deus. Estamos comprometidos com o estudo e exposição da imutável, inerrante e inspirada Palavra de Deus. As visões expressas aqui são nossas, e não são necessariamente compartilhadas por esta emissora.

A falência moral de nossa sociedade está bem comprovada.

Poucas pessoas compreendem por que falimos moralmente. No entanto, quando olhamos para a sociedade com os olhos de Deus, por meio da Bíblia, podemos facilmente compreender a razão de estarmos enfrentando problemas sem precedentes atualmente. O estudo da nossa sociedade por meio dos olhos de Deus é o que sempre tentaremos fazer aqui; fique conosco para aprender algumas verdades esclarecedoras.

Vimos anteriormente os vínculos entre as sociedades secretas e a implementação da Nova Ordem Mundial. Estudaremos hoje como o Vaticano está sendo controlado por essas sociedades secretas, à medida em que agem para completar a Religião da Nova Ordem Mundial, que acreditam ser uma parte indispensável da Nova Ordem Mundial. Os escritos da Nova Era deixam bem claro que essa Religião da Nova Ordem Mundial, como a chamam, será uma religião ocultista, que restaurará as Antigas Religiões de Mistério da Babilônia e do Egito e que destruirá totalmente o cristianismo. E, o Vaticano está agora liderando a investida.

Estaremos discutindo esse assunto a partir de várias fontes:

The Broken Cross, de Peirs Compton, 1981. Esse autor é um sacerdote católico que tornou-se totalmente desanimado com o estado atual da Igreja Católica.

A Conspiração Ocultista: A História Secreta dos Místicos, Templários, Maçons e das Sociedades Ocultistas, de Michael Howard, editora Campus, Série Somma, tradução para o português de Ivo Korytowski. Howard é um autor de Nova Era .

Behold a Pale Horse, livro do autor cristão de Nova Era Bill Cooper, publicado em 1991 .

Vejamos primeiro The Broken Cross:

Compton é um ex-editor de um jornal católico, The Universe. Ele rastreia a alegada infiltração de igreja romana pelos Iluministas. O autor é um católico tradicional e ainda praticante, que escreveu esse livro como um protesto pelo fato de a Igreja Católica abandonar seus ensinos sobre a doutrina cristã. “Há uma sensação que nossa civilização está correndo perigo mortal… A civilização declina quando a razão é virada de cabeça para baixo, quando o egoísmo e a depravação, o feio e o corrupto são promovidos como as normas das expressões sociais e culturais… quando o mal, sob diversas máscaras toma o lugar do bem.”

… Nunca antes o homem foi deixado sem um guia, uma bússula… divorciado da realidade … sem religião.” [pg 1-3]

Em seguida, Compton relaciona alguns erros das Igrejas Católicas nos anos recentes:

Declínio na crença nos absolutos [pg 2-3]
Sua prontidão para contemporizar com a perversidade neste mundo (pg 3)
Pregação do humanismo em nome da caridade cristã [pg 3]

Deixar de ser o inimigo inflexível do comunismo e começar a participar em diálogos de contemporização, contribuindo assim para a ruína da sociedade.

Abrir mão do credo em um Único Deus Verdadeiro nos céus pelo falso credo que existem muitos deuses nos céus e na Terra [pg 3]

Compton então faz a pergunta crítica – “O que causou as mudanças na igreja?” Após reconhecer que a maioria das pessoas naturalmente rejeita a idéia de uma “conspiração”, o autor afirma, “Vemos… a operação de um longo e deliberado esquema para destruir a Igreja a partir de dentro. Todavia, existem mais provas de todo tipo para a existência dessa conspiração do que há para alguns dos fatos comumente aceitos da história… Esquemas secretos, ocultos… dos acadêmicos… e da mente pública, foram a … força de direção de grande parte da história.” [pg 4]

“O desejo pelo domínio mundial, seja pela força das armas, da cultura ou da religião, é tão antiga quanto a história…” [pg 5]

Após rastrear algumas tentativas da tomada do controle do papado por elementos não-cristãos, Compton começa a falar sobre Adam Weishaupt, o sacerdote jesuíta que criou os Mestres dos Illuminati. Compton diz, “… Adam Weishaupt podia ver as possibilidades diante de si com uma mente militar. Ele tinha ímpeto e visão. Conhecia o valor da surpresa, que está firmada nos segredos… Ele podia misturar a humanidade em um todo… suprimir o dogma… O estado ideal que Weishaupt tinha em mente estava… fundado no sonho impossível da perfeição humana… Em primeiro de maio de

1776, a sociedade secreta que iria afetar profundamente grande parte da história subseqüente veio a existência com o nome de Illuminati”. [Iluministas].

“Os Illuminati tinham uma plano… decidiram em uma linha de conduta muito ambiciosa. Ela iria formar e controlar a opinião pública. Combinaria as religiões, dissolvendo todas as diferenças de crença e ritual que as mantinham separadas; tomaria o controle do papado e colocaria um agente seu no Trono de Pedro.” [pg 7-8]

Em 1818, um membro dos Illuminati, Nubius, disse que o objetivo dos Illuminati era “a aniquilação total do catolicismo, e posteriormente, de todo o cristianismo”. Se o cristianismo sobrevivesse, mesmo que fosse sobre as ruínas de Roma, tempos depois, poderia renascer e viver.” [pg 13] Posteriormente, examinaremos os mesmos objetivos, conforme expressos no livro de nova era de Michael Howard, A Conspiração Ocultista, publicado no Brasil pela Editora Campus. Compton continua a citar as explicações de Nubius sobre a necessidade de os Illuminati infiltrarem-se no papado:

“O papa… nunca ingressará em uma sociedade secreta. Portanto, as sociedades secretas têm a obrigação de fazer o primeiro avanço em direção à Igreja Católica e ao papa, com o objetivo de conquistar ambos.” [pg 13]

Isso nada mais é do que a decisão dos Iluminati de inflitrarem-se no papado. O objetivo desde o princípio (1776) era plantar um Iluminista jurado no papado, sem que o povo católico saiba que isso aconteceu. Nubius então reconheceu que esse processo pode levar muitos, muitos anos. Ele previu a necessidade de infiltração e tomada do controle dos conventos e dos seminários, para ganhar as mentes das freiras e, especialmente, dos sacerdotes, que ascendem depois ao cardinalato. São os cardeais que elegem o papa. [pg 12-15]

Como Weishaupt foi financeiramente apoiado em seus planos de estabelecer os Mestres dos Illuminati? Compton explica:

“Weishaupt recebeu o apoio financeiro … de um grupo de banqueiros ligados à Casa de Rothschild. Foi sob a direção deles que os planos de longo prazo dos Illuminati foram traçados…”

Em seguida, Compton confirma a natureza espiritual desse plano dos Illuminati de implantar a Nova Ordem Mundial:

“A afirmação de ser possesso por uma influência do outro mundo pode não ser inteiramente falsa… ter os testes que tornavam um Illuminati de puro sangue (a cerimônia ocorria à noite, em uma cripta, nas imediações de Frankfurt)…” [pg 8-9]. Lembre-se da nossa discussão anterior em outro artigo, sobre as iniciações realizadas na sociedade secreta norte-americana Skull and Bone [Caveira e Ossos], da qual o ex-presidente George Bush é membro? Ela também realiza suas iniciações em uma cripta, no meio da noite.

Compton então revela a longevidade e a influência das sociedades secretas:

“A força peculiar das sociedades secretas sempre foi o segredo… Algumas vezes elas tinham um significado ocultista afetado, que … geralmente levava-os a introduzir… ritos absurdos e desagradáveis de iniciação. Havia um círculo de Iluministas que persuadia os candidatos a entrar em uma banheira com água…. puxando-os por meio de um cordão que era amarrado em seus genitais… Era essa obsessão sexual pervertida que fez alguns dos discípulos de Weishaupt submeterem-se à autocastração.” [pg 11] Trevor Ravencroft, em seu livro The Spear of Destiny informa que o último ato oficial de Eckart, da Sociedade de Thule, foi castrar magicamente Adolf Hitler. Esse ritual teve o efeito de tornar Hitler em um dos maiores assassinos sadistas da história. Bill Cooper, em seu livro Behold a Pale Horse, diz que a sociedade Skull and Bones inicia seus membros por meio de uma fita colocada em volta de seus genitais. Isso novamente vincula os Mestres dos Illuminati , a Sociedade de Thule e a Skull and Bones [Caveira e Ossos].

Compton registra mais da influência ocultista dos Mestres dos Illuminati. “… Alguns ritos e símbolos derivavam de um significado inegável daquilo que geralmente é chamado Magia Negra, ou da invocação de um poder satânico cuja potência é como um raio sinistro…”

“Por meio dos símbolos… um homem é guiado e comandado… Os Iluministas faziam uso de …. uma pirâmide, ou triângulo, que há muito tempo é conhecido entre os iniciados como um sinal da fé mística, ou solar. No topo da pirâmide, ou algumas vezes, na base, havia, ou na verdade, ainda há, a imagem de um olho humano separado, que é chamado de olho aberto de Lúcifer, a estrela da manhã…”

“A pirâmide era um dos símbolos que representava a deidade desconhecida e sem nome nas seitas pré-cristãs. Séculos mais tarde, ela foi ressuscitada como um símbolo da destruição da Igreja Católica; e quando a primeira fase dessa destruição foi implementada… por aqueles que tinham se infiltrado e ocupado algumas das mais altas posições na hierarquia da Igreja, eles a reproduziram como um sinal de seu sucesso.” E quando isso aconteceu? Em 1976, exatamente 200 anos após Weishaupt iniciar seu plano de infiltrar o papado, colocando um Iluminista como papa. Compton continua:

“O Olho Que Tudo Vê dentro de uma pirâmide contemplava do alto as multidões que se reuniam para o Congresso Eucarístico da Filadélfia em 1976. Ele foi usado pelos jesuítas que editaram o anuário da Sociedade; e apareceu em uma série de selos que o Vaticano lançou em 1978.” [pg 10-11]. O autor cristão de nova era, Bill Cooper, confirmou esse fato chocante para mim em uma conversação telefônica.

Compton continua:

“O Olho, que pode ser rastreado até os adoradores da lua na Babilônia, ou astrólogos, veio a representar a Trindade Pagã Egípcia de Osíris, o sol; Ísis, a deusa da lua; e o filho deles, Hórus…” [pg 11-12]

A pirâmide e o Olho Que Tudo Vê são realmente antigos símbolos ocultistas. O livro satânico Magic Symbols [Símbolos Mágicos], demonstra claramente esse fato na página 140-141. Para comprovar o fato que a Igreja Católica Romana tinha utilizado o Olho Que Tudo Vê e a Pirâmide em seus escritos, viajei até Filadélfia, na Pennsylvania, e visitei o Seminário Católico de São Carlos. Na Biblioteca Memorial Ryan, encontrei um livro intitulado Symbols in the Church [Símbolos na Igreja]. Os autores descrevem o propósito do livro, “Este livro tem o objetivo de orientar os artistas e artífices eclesiásticos de todos os gêneros… que estejam interessados… na decoração das igrejas e dos objetos litúrgicos…” Em outras palavras, era um livro oficial dos símbolos autorizados que poderiam ser usados para criar literatura ou obras pictóricas que seriam aceitáveis para a liderança católica romana. Assim, fiquei chocado ao descobrir o Olho que Tudo Vê dentro de uma pirâmide, na página 27. Esse Olho Que Tudo Vê estava na seção de símbolos que representam Deus, o Pai, no entanto, esse símbolo não era o símbolo pagão de Deus olhando dos ceús para os assuntos humanos; em vez disso, era o símbolo pagão do homem aperfeiçoando-se para chegar aos céus. Era o símbolo dos Mestres do Illuminati, em um livro oficial de arte da Igreja Católica Romana!!

Isso confirmou que Pierre Compton estava absolutamente correto, os Iluministas estavam infiltrados na Igreja Católica. Mas, ao estudar esse livro dos símbolos católicos, fiquei chocado ao ver que haviam muitos símbolos que os católicos estavam usando que eram ou diretamente copiados daqueles encontrados no livro dos símbolos satânicos, Magic Symbols, ou que tinham sido modificados apenas ligeiramente. O tempo não nos permite examinar completamente todas essas ocorrências agora, mas voltaremos a um estudo futuramente.

Assim, desde o início do século XIX, os Iluministas e a Maçonaria começaram a se infiltrar na Igreja Católica Romana, começando inicialmente a inflitração pelos seminários e colégios, colocando sacerdotes e freiras que eram secretamente iluministas. O objetivo final era conquistar o Colégio de Cardeais e, em seguida, o papado. Por volta de 1846, já havia sido feito um progresso suficiente na infiltração da Igreja Católica, desse modo enfraquecendo-a a partir de dentro, e os Iluministas sentiram que era hora de criar a Força de Antítese que batalharia contra a Força Ocidental da Tese, liderada pelos EUA. A batalha entre essas duas forças produziria no final o desejado Sistema de Síntese, a Nova Ordem Mundial. Compton registra como esse novo Sistema de Antítese foi criado.

Em 1846, “havia uma sensação de mudança no ar, uma mudança que seria estendida além das fronteiras da Igreja e transformaria muitas facetas da existência… Dois anos mais tarde, um corpo altamente secreto de iniciados, que chama a si mesmo de Liga dos Doze Justos dos Illuminati, financiou Karl Marx para escrever o Manifesto Comunista…” [pg 16]. Esse fato histórico também é citado por Ralph Epperson em seu livro The Unseen Hand [A Mão Invisível], e por Anthony Sutton, em seu livro Wall Street and the Bolshevik Revolution [Wall Street e a Revolução Bolchevique]. A maioria das pessoas fica chocada com esse conceito por três simples razões: Primeiro, nossos livros de História tiveram o cuidado de nos ensinar que a história é apenas uma série de acidentes não-relacionados, e não o resultado de uma conspiração. Segundo, muitos de nós não conseguem compreender que seres humanos possam executar um plano global para dominação por um período tão extenso de tempo. Terceiro, a maioria das pessoas ainda acredita, ingenuamente, que nossos representantes eleitos exercem seus mandatos com nossos melhores interesses

em vista.

Compton continua sua exposição sobre a infiltração do Vaticano pelos Iluministas:

“Por volta da metade do século XIX, o Estado da Itália tinha sido tomado pelos Iluministas.” [pg 17] No entanto, o ofício religioso do papado estava fora do controle deles. Neste ponto, devemos lembrar que o papado e toda a Igreja Católica Romana estavam sendo fatalmente enfraquecidos pela inclusão de falsas doutrinas pagãs. Era somente uma questão de tempo antes que os Iluministas pudessem derrubar o papado, implantando um de seus homens. O papado estava condenado a cair como uma árvore que tinha sido apodrecida por séculos antes de cair subitamente sob o ímpeto de um vento persistente. Esse objetivo de infiltrar Iluministas no Vaticano é melhor detalhado em um livro ocultista intitulado A Conspiração Ocultista, de Michael Howard. Os livros ocultistas sempre são muito instrutivos, pois os autores não têm nada a esconder e porque muitos escrevem sob a influência de seus “espíritos-guia” E, os ocultistas são muito abertos sobre essa conspiração.

O objetivo supremo dos Iluministas de colocar um de seus homens como papa não foi bem-sucedido até o início dos anos 60, quando o Concílio Vaticano II foi convocado. Compton diz, “Os liberais ou progressistas, seguros por terem trazidos os desígnios das sociedades secretas a uma conclusão bem sucedida, estavam exultantes… Todo o mundo da religião estava agora permeado por sua influência…” [pg 62]

“Em menos de uma década, a igreja tinha sido transformada de uma inimiga implacável do comunismo em um advogado ativo e poderoso da co-existência com Moscou e com a China. Ao mesmo tempo, mudanças revolucionárias nos ensinos mantidos por séculos moveram Roma mais para perto daquele neo-paganismo humanista, do Conselho Nacional de Igrejas [EUA] e do Conselho Mundial de Igrejas”. [pg 62-63]

“Quando os efeitos do Concílio Vaticano II tornaram-se aparentes, o bispo de Regensbury foi levado a observar que as principais idéias da Revolução Francesa, “que representam um importante elemento no Plano de Lúcifer, estava sendo adotado em muitas esferas do catolicismo”. Embora conduzido grandemente atrás dos bastidores… a luta entre a Igreja e as sociedades secretas tinha sido mais amarga e prolongada que qualquer conflito internacional…” [pg 75]

Agora que o Concílio Vaticano II tinha implementado o Plano de Lúcifer, como o bispo de Regensbury observou, “restava conjugar uma visita verdadeiramente histórica com um rito iniciatório que colocasse um selo nessa recém-admitida realização…” Assim, “o papa Paulo VI, em 4 de outubro de 1965, visitou a Assembléia das Nações Unidas. ” [pg 67] e proferiu um discurso em que “propagou o evangelho social tão querido pelos revolucionários, sem uma única referência às doutrinas religiosas que eles achavam tão perniciosas.” [pg 68]

Após o discurso, o papa Paulo VI foi levado à Sala de Meditação das Nações Unidas. “Um boletim, cuidadosamente editado , que supostamente discutia o significado e propósito da sala, foi produzido pela Lucis Press, que publica material impresso para as Nações Unidas.” O fato de Lucis Press ser a editora que publica e dissemina materiais para as Nações Unidas é uma indicação devastadora da natureza de Nova Era e satânicas da ONU. A Lucis Trust foi fundada em 1922, originalmente com o nome de Lucifer Trust, por Alice Bailey, como uma firma editorial para disseminar os livros de Alice Bailey e de Helena Blavatsky. Em 1923, Bailey alterou o nome da editora para Lucis Trust, pois Lucifer Trust revelava de forma clara demais a verdadeira natureza do movimento de Nova Era. [Constance Cumbey, The Hidden Dangers of the Rainbow , pg 49] Uma rápida visita a uma livraria especializada em livros de Nova Era, revela que a Lucis Trust publica muitos livros ocultistas.

Agora vamos retornar à visita do papa Paulo VI às Nações Unidas, em 4 de outubro de 1965.

“Essa Sala de Meditação era um centro dos Illuminati, entregue ao culto do Olho Que Tudo Vê, que … estava dedicado aos serviços dos cultos pagãos, e à destruição do cristianismo em favor das crenças humanistas.” [pg 68-69] Esse ritual de iniciação ocultista do papa Paulo VI na Sala de Meditação das Nações Unidas “representou o estágio inicial de um esquema, o cumprimento do qual seria … a construção do Templo da Compreensão, em uma área de cincoenta acres perto do rio Potomac,

em Washington DC… O propósito subjacente do Templo era revelado claramente por seu… Olho Que Tudo Vê… que representava as seis fés mundiais – budismo, hinduísmo, islamismo, judaísmo, confucionismo e cristianismo. “O palco está assim armado para a formação e anúncio da Religião da Nova Ordem Mundial. Essa nova religião será uma combinação de todas as religiões do mundo, o que representa os sinos do enterro para o Isolamento do Verdadeiro Cristianismo. As palavras de Jesus, “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” [João 14:6] significam que nenhuma outra religião, inclusive a Religião da Nova Ordem Mundial pode oferecer o caminho ao céu. Satanás terá obtido uma grande vitória, e o palco estará armado para o desdobramento dos eventos previstos no livro do Apocalipse.

Agora, considere o próximo passo do papa Paulo VI. “Ele também fazia uso de um símbolo sinistro, criado pelos satanistas no século VI, que tinha sido revivido ao tempo do Concílio Vaticano II. Esse símbolo era a cruz vergada, em que era exibida uma figura repulsiva e distrocida de Cristo, que os feiticeiros e praticantes de magia negra na Idade Média fizeram para representar o termo “Marca da Besta”. No entanto, não apenas Paulo VI, mas seus sucessores, os dois papas João Paulo carregavam esse objeto e o seguravam para ser reverenciado pelas multidões, que não tinham a menor idéia que representava o Anticristo. [pg 72]. Na página 56, Compton imprime uma foto do papa atual, João Paulo II, segurando essa cruz vergada.

Quão chocante que um papa católico romano possa utilizar um objeto satânico conhecido, que representa o Anticristo, e fazer os fiéis na multidão se ajoelharem diante dele e reverenciá-lo! Isso nos faz lembrar da profecia em Apocalipse 13:12, que ele [o Falso Profeta] fará aqueles que habitam na Terra adorarem ao Anticristo.

No entanto, a pior revelação ainda está por vir.

O papa Paulo VI compareceu ao Estádio Yankee “vestindo uma alva”, um traje antigo… vestido por Caifás… que pediu a cruficicação de Cristo.” (Ibidem)

“Depois de alguns dias do retorno de Paulo VI a Roma, o bispo de Cuernavaca, Mendes Arceo, declarou que ‘o marxismo era necessário para realizar o reino de Deus no tempo presente’, enquando Paulo VI fazia saber que Roma… estava pronta a olhar de outra forma as sociedades secretas.” [pg 72]

Em certa manhã de verão, os jovens seminaristas católicos ficaram grandemente alarmados por uma revelação em um jornal chamado “Borghese… pois trazia uma lista detalhada de clérigos, alguns dos quais ocupavam posições de destaque, que, dizia-se, eram membros de sociedades secretas. Era uma notícia inacreditável, pois … os alunos conheciam a Lei Canônica 2335, que proibe expressamente que um católico ingresse em qualquer sociedade secreta, sob pena de excomunhão… e a Lei Canônica 2336 que prescreve medidas disciplinares a serem impostas contra qualquer clérigo que venha a aderir a uma sociedade secreta. Michael Howard, autor de A Conspiração Ocultista: A História Secreta dos Místicos, Templários, Maçons e das Sociedades Ocultistas, fala a respeito dessa mesma lista, mas vai além, revelando que a maioria desses altos funcionários eram membros da Maçonaria. [pg 191]. Howard afirma que alguns desses funcionários graduados do Vaticano eram:

> O secretário particular do papa Paulo VI
> O diretor-geral da Rádio Vaticano
> O arcebispo de Florença
> O prelado de Milão
> O editor-assistente do jornal do Vaticano
> Sete bispos italianos
> O abade da Ordem de São Benedito

Os alunos ficaram chocados com essa revelação, pois diversas bulas papais tinham sido promulgadas contras as sociedades secretas.

Esse artigo foi negado com veemência por um escritor em L´Aurora, M. Jacques Plonchard, que assegurou que nenhum prelado tinha sido afiliado a uma sociedade secreta desde 1830. Entretanto, investigadores determinados, alguns apresentando-se como membros do Governos, obtiveram acesso ao Registro Italiano das Sociedades Secretas e compilaram uma lista de cardeais, arcebispos e bispos que eram membros de sociedades secretas. Essa lista incluia 125 prelados. Em seguida, Compton relaciona esses nomes nas páginas 78-84. Ele diz, “O Registro Francês das Sociedades Secretas é melhor guardado do que o italiano, de modo que os detalhes das iniciações recentes não podem ser citados. A lista mais sustentada de cléricos que pertencem às sociedades secretas francesas cobre algumas décadas anteriores à Revolução Francesa (1785) e chegava [então], mesmo em um tempo em que a infiltração da igreja por seus inimigos estava em uma escala menor que logo seria atingida, a algo em torno de 256 membros.”

O palco ficou armado para a plena aprovação papal da participação em sociedades secretas. Em 27/11/1983, o papa João Paulo II promulgou uma bula papal que legalizou a participação dos católicos romanos nas sociedades secretas.

Agora podemos compreender como o papa João Paulo II, com uma cara tão limpa, pode exibir a cruz vergada ocultista. Agora podemos compreender como ele pode buscar com afinco o domínio da Nova Ordem Mundial, conforme garante Malachi Martin em seu livro The Keys of this Blood . Martin é um sacerdote jesuita aposentado, que lecionou no Pontifício Instituto Bíblico do Vaticano.

Finalmente, após mais de 200 anos, a sociedade secreta Mestres dos Illuminati – os originadores da Nova Ordem Mundial, alcançaram um de seus principais objetivos, a inflitração de um de seus homens como Sumo Pontífice da Igreja Católica Romana. Esse marco ocorreu, como já dissemos, no início dos anos 60, com a ascensão de Paulo VI ao papado. Esse período de tempo também encaixa-se com o período geral de degradação espiritual e apostasia que observamos em programas anteriores e nos nossos Seminário em fita cassete. Interessantemente, o autor cristão de nova era, Bill Cooper, em seu livro Behold a Pale Horse , afirma, “Em 1952, uma aliança foi formada trazendo… juntos pela primeira vez na história: As Famílias Negras (nobreza européia, que historicamente sempre praticaram o espiritismo e o ocultismo), Os Illuminati, o Vaticano e a Maçonaria, agora trabalhando em conjunto para implementar a Nova Ordem Mundial.” [pg 80]

Hoje, é muito evidente que o papa João Paulo II é um Iluminista. Podemos ver isso concretamente pelo uso da cruz vergada. Podemos ver isso por seus discursos em favor do programa da Nova Era e por suas muitas viagens internacionais. No entanto, a confirmação final para nós ocorreu em 1990, quando participei de um seminário de quatro horas de duração em Boston, ministrado pelo diretor da Casa da Teosofia na Nova Inglaterra. Ele afirmou que no momento certo na história mundial, o papa viajará a Jerusalém para presidir uma Conferência Espiritual Ecumênica. Nessa conferência, o papa anunciará que todas as religiões do mundo estão agora unificadas. Assim, disse o diretor, a Religião da Nova Ordem Mundial está estabelecida. Essa informação, dada por um homem que conhece perfeitamente os planos dos Illuminati, porque trabalha com eles, revela que o Plano prevê que o papa católico romano será o líder da Religião da Nova Ordem Mundial.
Essa revelação significa duas coisas importantes:

1. O plano para substituir o papa católico por um Iluminista foi atingido, após 200 anos.
2. O papa católico romano provavelmente será o Falso Profeta descrito no livro do Apocalipse.

Finalmente, acrescente a isso o fato que os líderes-chave no Plano da Nova Ordem Mundial já identificaram publicamente o papa católico romano como o planejado líder da Religião da Nova Ordem Mundial. Esse será o papel do Falso Profeta, que trabalhará com o Anticristo para enganar o mundo e que terá os mesmos poderes ocultistas que o Anticristo.

O tempo para a implementação final está muito próximo.

 

Publicado em As seitas | Deixe um comentário

A tecnologia a serviço do mal

Durante as minhas orações à noite, pedi para Deus me mostrar o que aconteceria no final do mundo (entenda aqui aparecimento do anticristo, marca da besta, etc.).

Quando dormi sonhei que havia duas amiguinhas das minhas filhas em casa e quando chegou a hora de elas irem embora resolvi leva-las para que não que andassem sozinhas pelas ruas. Deixei-as em casa e então tudo começou: olhei para cima e vi bombas descendo do céu, tinham a aparência de latas de óleo feitas de alumínio, conforme elas desciam soltavam uma fumaça e essa fumaça se entrelaçava formando tipo de uma rede de fumaça. Se essa fumaça tocasse na pele do ser humano a pele sofreria um tipo de desintegração instantânea. Sabendo disso comecei a rastejar para fugir da fumaça, até conseguir chegar a minha casa. A próxima cena que vi foi que as pessoas não podiam sair de casa. Não só porque havia um toque de recolher, mas porque pessoas havia tornado-se canibais e quem saia era atacada e morta, essas pessoas pareciam completamente enlouquecidas. Uma dessas pessoas percebeu que olhávamos pela fresta da janela deu a volta pela casa e tentava forçar a porta e nos atacar. As pessoas permaneciam presas dentro de casa esfomeadas, descabeladas e sujas, parecia que não havia água ou comida, e eram perseguidas pelo sistema que estava no mundo e estava controlando e deturpando tudo, que eram responsáveis pelas bombas e tudo mais.

Pessoas se rebelaram contra esse sistema e eram perseguidas e viviam escondidas. Quando eram descobertas eram levadas para um tipo de laboratórios e sofriam várias torturas, tanto para mudarem de lado como para delatarem seus companheiros. Esses laboratórios possuíam muitos equipamentos ultramodernos, inclusive equipamentos que ressuscitavam pessoas mortas, e eles utilizavam para ressuscitarem os revoltosos para descobrir coisas de seus companheiros. As pessoas ali usavam uniformes, jalecos, como se fossem médicos ou cientistas. Nesse momento vi uma coisa muito estranha, um dos revoltosos havia morrido, mas essa “pessoa” não era comum ele não tinha corpo apenas cabeça que era apoiada em um objeto como se fosse um carrinho que se locomovia para onde ele queria ir, esse senhor era negro. Ele morreu e os médicos do inimigo o ressuscitaram para o interrogarem. Com ele foram presas outras pessoas. Eles fingiram que estavam dispostos a colaborar e todos no laboratório ficaram felizes e aliviados…

Acordei.

 

Publicado em sonhos e revelações aos santos | Deixe um comentário

Os espectadores

Era sábado e eu tinha posto o celular para tocar as 06h30minh do domingo, dia 27/09/2009. Quando o celular tocou eu desliguei e dormi de novo. Então sonhei:

 

Eu estava em minha casa, mas ela estava meio diferente, havia uma casa logo atrás da minha, encostada, o que não acontece na verdade. Sai no quintal e vi pessoas na varanda dessa casa, elas estavam alegres e estavam filmando algo que acontecia na frente da minha casa. Quando eu me virei e olhei vi que o céu estava estranho, com metade coberto por uma nuvem muito grande e regular, reta de cima abaixo. De repente enquanto observava apareceu no céu, como que voando, uma casa. Fiquei assustada e achei que ia cair em cima da minha casa, mas ela passou e caiu longe, então começaram a aparecer mais casas voando e caindo em vários lugares. Quando eu pensei que tinha acabado começaram a aparecer animais voando (como num vendaval) principalmente cachorros. Depois pedras e outras coisas vieram voando, trazidas pelo vendaval. O engraçado disso é que o tempo não estava tempo de vendaval, mas aconteciam coisas próprias de um vendaval.

De repente veio um objeto voando e quebrou a janela da minha cozinha e caiu em cima da pia. Parecia uma pedra retangular, mas quando cheguei perto vi que era uma pasta, tipo pasta polionda, branca. Nisso começaram terremotos, pude ver na frente da minha casa abrir uma cratera que engoliu um rapaz que passava, e até mesmo dentro da minha casa o chão rachou um pouco…

 

 

Acordei, e era 07h00minh da manhã.

 

 

 

 

 

Publicado em sonhos e revelações aos santos | Deixe um comentário

POUCOS SE SALVARÃO

Sonhei que estava num culto em uma igreja, mas a sala estava quase vazia, havia poucas  pessoas interessada nas coisas de Deus, só que quando saí daquela sala (ainda dentro da igreja) todos estavam participando de um churrasco, tudo era festa no resto da igreja e no mundo as pessoas estavam alegres e no maior bacanal. Fui andando e passei na frente de outra igreja e quando olhei lá dentro havia duas mulheres ajoelhadas com véu na cabeça, elas pensavam que estavam adorando a Deus, só que no altar havia dois demônios (eles pareciam com cães negros, muito peludos) elas não percebiam que eles estavam lá. Depois vi muitos caminhões com casas em cima, todas iguais, como as pré-fabricadas, senti que eram igrejas, que havia uma proliferação de igrejas. Fui para a casa de minha mãe porque precisava falar com meu pai (ele usa drogas e tem uma vida toda errada)  ele não quis falar comigo nem me deu bola. O engraçado é que ele parecia um travesti, tipo a roupa, ele estava vestido como uma mulher com calça de coton e miniblusa(isso significa a vida desregrada e de promiscuidade que ele vivia). Como meu pai não me deu atenção, saí da casa da minha mãe e fui caminhando então vi coisas terríveis, mulheres abortando e pessoas ficavam brigando para ver quem iria ficar com um pedaço do feto, que eram como coisas negras e estranhas. Voltei para a primeira igreja e quando ia entrar na sala onde eu estava no começo, bem na porta tinha um telefone que tocou, atendi mas sabia que tinha que entrar na sala logo pois o mundo estava acabando e só se salvaria quem entrasse na sala. Quando atendi era minha mãe e ela começou a falar comigo com uma voz toda meiga, diferente da que normalmente usa, mas quando eu falei para ela que não podia falar com ele pois tinha que entrar na sala porque o mundo estava acabando, ela começou a falar com uma voz estranha e gritava EU TE ODEIO, MORRA!!!!! PORQUE VOCÊ NÃO MORRE? Fiquei assustada e triste desliguei o telefone e entrei na sala. Quando eu fechei a porta sabia que eram os últimos momentos da humanidade e que apenas quem estava na sala iria para o céu, nesse momento a porta se abriu de novo e meu pai entrou, com aquela roupa de biba mesmo, entendi que ele iria se salvar no ÚLTIMO MOMENTO. Quando a porta se fechou a sala começou a balançar e a chacoalhar, não podíamos olhar ela janela, mas sabíamos que lá fora estava um caos total, percebi que chovia, e havia terremotos, vendavais…Quando amanheceu tudo ficou quieto e a sala parecia que voava, então sentimos que podíamos olhar para fora e fizemos isso. Realmente a sala estava voando e, naquele momento passava por cima de uma praia. Havia dois moços lá brincando na areia, que estava revolvida e cheia de pedaços de pau, como depois de uma chuva muito forte, eles brincavam mas quando o outro não estava olhando um tentava sufocar o outro na areia….foi um sonho terrível!!!

Mas entendi tudo e muitas coisas que eu vi estão acontecendo: aumento dos abortos, satanismo, igrejas em cada esquina (mas a falta de amor no meio delas), tempestades, tsumani (quando eu sonhei ainda não havia acontecido o tsumani), prostituição, etc.

Senti que estamos na última hora da humanidade, e embora houvesse pessoas ainda no planeta a maldade ia aumentar muito, era como se toda bondade e amor tivessem fugido do mundo e o mundo era como aquela frase: “um mundo do cão”, do caos e desordem.

Quem não se voltasse para Deus estava perdido, e que Ele era a única saída.

 

Espero que isso ajude vocês a pensar sobre Deus e como seria nosso mundo sem Ele, pois isso (o desfecho) está muito próximo.

 

Depois disso comecei a estudar sobre arrebatamento, pois não tinha muito conhecimento sobre isso.

Sonhei isso em 2004 e desde então muitas coisas estão acontecendo e confirmando o sonho.

 

 

Publicado em sonhos e revelações aos santos | Deixe um comentário